Dicas

A Moda em Ebulição

26/08/2015

Foi-se a época que para estar na moda você deveria estar usando a roupa toda na cor da moda, com prints e peças próprias da estação. Hoje estamos evoluindo para uma não sazonalidade da moda, elevando o patamar de moda setorizada por coleções definidas - Primavera/Verão, Outono/Inverno, Resort - para lançamentos fora dos calendários nacionais e internacionais.

Com o aumento da velocidade com relação as mídias sociais e como elas conseguem tocar o consumidor a moda não está mais conseguindo respirar ares mais inspiracionais e criativos, o mercado tem sede por "inovação" a cada três meses e esse "time" está sendo encurtado com marcas que põe a venda peças de sua coleção após serem desfiladas nas passarelas. Um exemplo foi da Givenchy, marca francesa, que lançou sua campanha outono-inverno 15/16 no Instagram de sua "concorrente" Versace, onde Donatella, diretora criativa da marca Versace, é a protagonista. Em uma declaração ela afirma a necessidade de uma moda mais colaborativa e menos competitiva, buscando mais qualidade no que se produz em cada marca, buscando assim ressaltar a identidade de cada um.

Campanha Outono 15 Givenchy
Campanha Outono 15 Givenchy

Além desse "time" acelerado vivemos uma cultura de "selfie" que está definindo as pessoas a partir de suas imagens, como se comportam, onde frequentam. Como se vestem entra, hoje, numa perspectiva de identidade e não mais de classe social. A questão é como as pessoas querem se expressar a partir do que usam.

Há várias tendências que permeiam está questão de identidade, segue as que estão vigentes e que estarão em alta para a próxima temporada verão 15/16:

O Crossover. Este é um comportamento muito forte que acontece tanto nas passarelas quanto nas ruas e que está altamente ligado com a sociedade de "selfie", de exclusividade, identidade. Esta tendência se manifesta pela combinação de peças de identidade anos 70 com peças com características dos anos 20/30/50/60/80, num mix de épocas do século passado. Outra forma de manifestar esta tendência é com a mistura de gêneros, ressaltando o trabalho da Gucci, que desde a entrada de Alessandro Michele na direção criativa da "label" trás um mix de gênero com ares 70's.


Pinterest - Campanha Gucci Inverno 15

Outra tendência em alta e que muitas vezes nos perguntamos se é uma coisa ou outra, pois há uma mistura de identidades, é a tendência Cross Culture. Referência que se manifesta a partir da mistura de elementos de culturas diferentes; como exemplo elementos étnicos da cultura africana com elementos da cultura indiana tendo como plano de fundo os anos 70, fazem um mix de prints para sultão nenhum colocar defeito.


Pinterest

E uma tendência que manifesta mais fortemente a personalidade de cada indivíduo é a tendência High-Low, ou Hi-Lo, na sua abreviação. Está que quer definir "High" como a utilização de peças caras com a mistura do "Low", que seriam peças baratas ou até mesmo peças de brechó. Este comportamento trás para o indivíduo uma abertura maior de criação e composição de seus "looks" tendo em vista sua personalidade e seus gostos que podem ser encontrados em diversas marca, lojas, acessórios, desprovidos da necessidade de gastos altíssimos para compor o visual. Não simplesmente manifestada em peças cara ou baratas, contudo pode ser uma mistura de tecidos mais tecnológicos, finos, com materiais mais baratos, um exemplo a utilização do couro com a seda. Esta tendência não surgiu agora, já está acompanhando a moda algumas temporadas e promete permanecer por longo tempo com a sua democratização e acesso, e aqui falamos dos brasileiros e das marcas de luxo que estão desembarcando ano a ano no Brasil, e co fortalecimento do varejo.

Inspiração não falta! O que menos pode faltar é atitude ousadia e conhecimento de si próprio, essa é a maior tendência e a que nunca cai de moda!