Dicas

A Haute Couture - Auta Costura como inspiração e abertura ao novo

26/08/2015

A Alta Costura está retornando aos seus dias de glória, de influência e inovação na moda após ter sido engolida pelo fenômeno do prêt-à-porter e do fast fashion. Ela teve início com o costureiro Charles Frederick Worth em Paris em 1858, que revolucionou a forma de elaboração das roupas e as apresentações das mesmas, já que, anteriormente, os costureiros executavam suas propostas de acordo com o pedido das clientes. A partir de Worth, o costureiro\estilista passa a elaborar suas coleções para serem apresentadas para as clientes e vendidas em desfiles.

Em 1945 foram estabelecidas normas de produção que as Maison deveriam cumprir para poderem ser consideradas peças de Alta Costura. Primeiro que elas deveriam manter instalações apropriadas em Paris para que apresentassem suas coleções semestrais e tivesse espaço para as provas dos modelos. As coleções deveriam conter 75 figurinos originais. As exibições contavam com clientes privativos , compradores comercias americanos e europeus que adquiriam modelos e desenvolviam posteriormente tecidos e peças a serem vendidos em lojas do varejo.

Desde sua criação com Worth e sua consolidação com Christian Dior, passando posteriormente por costureiros modernistas como Yves Saint Laurent e Humbert de Givenchy, a Haute Couture tem como função a inovação. Hoje mais do que antes as casas, tradução de Maison do francês, estão atingindo um mercado cada vez mais jovem e se aproveitando de sua exclusividade para falar mais abertamente com o mundo a partir de sua relação de criação e inspiração.

Seus trabalhos com elaboradas técnicas, peças feitas pelos melhores profissionais do mercado, utilização dos melhores aviamentos e pedras preciosas trazem para o mercado uma produção sem orçamentos, fazendo com que as peças se tornem joias e artigos de coleção.


Imagens Site Dior - La Maison Dior http://www.dior.com/couture/pt_br/a-maison-dior/os...

Entre as principais Maison que desfilam na semana AC - Alta Costura - são Chanel, Dior, Schiaparelli, Maison Margiela, Atelier Versace, Viktor & Rolf, Elie Saab, Giorgio Armani, Giambatista Valli, e a Fendi que entra e integra o "line up" com um trabalho que promete muito o que falar por ter suas produções a partir de peles. A Fendi que é dirigida pelo Kaiser Karl Lagerfeld que assina duas coleções, a da Maison Chanel e a Fendi.

Segundo o FFW, Fashion Forward, portal de moda internacional, hoje o que impulsiona a AC é uma soma de criatividade, expertise antiga e dinheiro novo. Contudo o que isso influencia para o resto da sociedade?

Com o aumento do consumo da AC nos últimos tempos, mais por consumo jovem, dinheiro novo, as Maison estão vendo seu crescimento gradativo a cada ano. Numa sociedade estratificada pala massificação o crescimento deste mercado aponta para novas formas de consumo, mais conscientes e o mais importante: INSPIRACIONAL. A moda a cada ano está se fortalecendo a partir da identificação do lifestyle de seus clientes, hoje mais do que seguir uma tendência está se tornando importante a funcionalidade do que se veste, do que a roupa representa, como ela comunica.

Ainda estamos vendo este efeito em uma ação "trickle down", como chamamos na moda, uma ação vinda de cima, dos que detém o dinheiro, contudo as reações acontecem na massa que acompanha nas redes sociais e que estão trazendo um novo olhar para os desfiles. Chama a atenção nesta semana de AC que Chanel, Dior, Schiparelli, Versace estarão fazendo duas apresentações de suas coleções. É ou não é para ficar atento?!

Vamos aproveitar e nos deliciar com as coleções desta temporada e abrirmos a criatividade pois a sociedade da cópia não está mais na moda.

1. Dior S/S 15 2. Chanel S/S 15 3.Chanel S/S 14 4. Margiela por John Galliano A/W 2015